Maravilha (Mirabilis jalapa)

mirabilis01Minha história com esta plantinha vem desde a infância. Brincava muito com suas sementes graúdas. Aquele “pozinho” que há dentro delas era um grande divertimento, ainda mais quando me contaram que as moças do interior, de muito antigamente, usavam o pó para ficarem com a pele mais bonita. Se é verdade ou mentira, não sei. Sei que graças a esta história que me contaram estraguei muitas sementinhas fazendo meu falso pó de arroz de moça do campo. Quanto às flores, bem, só fui perceber sua beleza um pouco mais para frente.

O nome desta flor é Maravilha (Mirabilis jalapa) e também é chamada de Jalapa, Bonina, Boas-Noites, Belas-Noites, Beijos-de-Frade, entre vários outros. Em espanhol é chamada de Dondiego-de-Noche, Jazmín-Rústico, Donpedros, Periquitos, entre outros. Em inglês é chamada de Four-o’clock flower. O nome científico Mirabilis quer dizer Maravilhoso, em latim, e Jalapa é uma região do México onde foi descrita pela primeira vez pela ciência.

Apesar de ter sido descrita pela primeira vez no México não há certeza de onde realmente ela é originária. Existe a suposição de que foi encontrada pelos europeus em zonas próximas aos Andes, no século XVI e daí levada para a Península Ibérica, onde foi introduzida como planta ornamental e medicinal. Mas considerando suas características supõe-se que seja nativa de zonas tropicais da América do Sul, Central e México.

Existem cerca de 50 espécies diferentes, todas presentes nas áreas de clima mais quente da América. Como adaptou-se bem ao clima temperado também pode ser encontrada em zonas abrangidas por este clima.

A Maravilha é uma planta herbácea, que tem altura média de 70 cm, mas pode chegar a 1,20m. Tem ciclo de vida perene, mas em áreas de clima temperado pode comportar-se como planta anual, já que com geadas fortes ou baixa umidade pode morrer. São comuns em áreas próximas ao mar, ou em áreas com influênica marítima, por serem resistentes à salinidade.

Possui raízes tuberosas que facilitam sua sobrevivência durante os meses mais secos e frios. Tem um caule ramificado e ereto. As folhas são simples, afinadas na ponta, opostas, em tons de verde claro a escuro ou avermelhadas. A folhagem é densa dando um aspecto agradável à planta mesmo quando não está florida. Podem ter até 13 cm de comprimento e 8 cm de largura.

mirabilis00A floração ocorre na Primavera e Verão, podendo aparecer flores esporádicas, em menor quantidade no Outono e Inverno. As cores da Maravilha justificam seu nome. As cores básicas de suas flores são vermelho e branco, mas podem produzir flores das mais variadas tonalidades de rosa, amarelo e laranja. As flores podem apresentar diferentes combinações de cores, existindo flores de até três cores diferentes que se apresentam em listras, pintas ou manchas irregulares. As flores tem a forma de uma trombeta coroada por cinco pétalas, podendo ter um perfume adocicado, podendo ser solitárias ou em grupos. Só se abrem ao final do dia, e em dias nublados também dão o ar da graça durante o dia. Atraem insetos noturno e mariposas, responsáveis por sua polinização.

As sementes são ovais e têm entre 6 e 8 mm. São enrugadas e tem cor verde amarelada quando imaturas, tornando-se totalmente negras quando maduras.

Numa mesma planta podem nascer flores de diferentes cores ou mistura de cores. Uma mesma planta pode em um período de sua vida dar flores amarelas e com o passar do tempo começar a produzir flores rosas, ou brancas que depois passam a ser rosa claro. Foi estudada por Carl Correns, que a utilizou como exemplo num estudo sobre herança extra-nuclear, estudo segundo o qual pode-se ter um indivíduo sem predominância genética de um dos indivíduos dos quais teve origem. Estes e outros estudos resultaram no redescobrimento das Leis de Mendel (veja mais no link ao final do post).

Seu uso como planta ornamental é muito difundido, sendo utilizada na formação de maciços, conjuntos e borbaduras. Pode também ser plantada em vasos, mas tende a ter uma altura inferior do que uma que está diretamente no solo. Devido a sua rusticidade é de fácil cultivo, podendo, caso haja algum descuido, tornar-se uma praga pela facilidade com que volta a ser selvagem. Por ser resistente à salinidade é uma planta ideal para jardins próximos à praia.

Na medicina popular é utilizada como cicatrizante, para manchas na pele, sardas, problemas hepáticos, entre outros. Mas nunca se deve fazer uso interno de raízes e sementes pois são tóxicas.

Seu clico de vida é perene mas em regiões onde o Inverno é mais severo tende a morrer com as geadas, sendo cultivadas como plantas anuais. Em locais de Inverno mais rigoroso podem ser arrancadas no Outono, semeando novas sementes para o ano seguinte. Em áreas de clima mais quente uma planta pode durar anos sem qualquer problema. Onde o clima tem um Verão que seja extremamente seco a planta também pode morrer devido ao calor intenso e baixa umidade do ar, sendo essencial regas diárias nos períodos de maior calor, e frequentes em qualquer época do ano ou clima. Seu cultivo deve ser a sol pleno, apesar de adaptar-se bem à meia-sombra. Sob sol pleno tendem a ter um maior porte e floração mais intensa. O solo precisa ser fértil, rico em matéria orgânica e com boa drenagem. Quanto à adubação deve ser feita uma vez ao mês na Primavera e Verão, com adubo rico em potássio.

mirabilis02A reprodução desta planta é muito fácil. Pode-se fazê-la através das sementes que são abundantes ou pela separação de suas raízes. Por auto-reproduzir-se com facilidade não necessita de auxílio humano, mas se sua reprodução não for controlada torna-se uma praga. A semeadura deve ser feita em fins do Inverno e princípios da Primavera, podendo-se apenas jogar as sementes sobre a terra ou em covas rasas. Porém, para apressar a germinação, as sementes devem ser postas de molho durante 12 horas antes da semeadura.

Nos meses quentes mais chuvosos pode sofrer a infestação de fungos que costumam ser facilmente eliminados com um fungicida. Mas só deve ser usado antes do início da floração plena. Ácaros, pulgões e outras pragas podem atacá-la também, sendo necessária a utilização de inseticida de forma preventiva para evitar uma infestação, também quando a planta ainda não tenha flores.

Mas mesmo sem todos estes cuidados acima descritos, é possível ter lindas Maravilhas no jardim. Veja na galeria abaixo algumas das variedades de cores que podem ter as flores desta planta (clique nas fotos para ampliá-las).

____________________________________________________________________________________________

Fontes:

Gardening eu

Infojardin

Jardineironet

Este link vale pela sequência de fotos em close da flor:

Waste ideal

sobre Mendel e as leis de Mendel veja:

Jornal da Ciência

sobre Carl Correns:

Wapedia

Hortênsia (Hydrangea macrophylla)

hortensia00Lembro de ver hortênsias pelos jardins de minha vida desde que era muito pequena. Dona Sogra tem lindas hortênsias repletas de buquês rosas. Mamãe sempre teve lindas hortênsias azuis que davam buquês incontáveis. Um dia Mamãe encontrou para vender hortênsias cor-de-rosa. Toda feliz comprou achando que então teria hortênsias rosas além das azuis. Retirou do vaso e plantou próximo a azul que já tinha. Qual não foi a surpresa dela ao ver que, no ano seguinte, as flores deste pezinho também ficaram azuis! É que naquela época ela não sabia de uma certa peculiaridade das hortênsias…

As hortênsias também são popularmente conhecidas pelos nomes de Hortência, Rosa-do-Japão e Hidrângea. Tanto em espanhol como em inglês também podem ser chamadas de Hortensia ou Hidrangea (Hydrangea). O nome científico Hydrangea significa bebedoura de água. Já o nome Hortênsia foi uma homenagem a uma dama francesa do século XVIII, Hortense Lepante, que era mulher de um amigo do naturalista Philibert Commerson, responsável pela introdução da Hortênsia na Europa.

hortensia01As hortênsias são originárias da Ásia, mais especificamente China e Japão, razão pela qual também é conhecida como Rosa-do-Japão. Foi domesticada pelo homem há muito tempo, mas só espalhou-se por todo o planeta como planta ornamental em meados do século XIX. Existem mais de 600 cultivares diferentes.

É um arbusto de ciclo de vida perene que pode chegar a 1,5 m de altura. As folhas deste arbusto são grandes, ovaladas, de cor verde-clara, algo duras e com bordas dentadas. No Outono as folhas caem.

A floração ocorre na Primavera e Verão. As inflorescências agrupam-se formando buquês bem arredondados, contendo grande número de flores que podem ter uma coloração que varia entre violeta, azul, lilás, rosa, vermelho e branco. As inflorescências da Hortênsia tem diferentes terminações, com bordas arredondadas, estreladas, recortadas ou triangulares. A hortênsia se dá muito bem em climas mais amenos gostando do frio e florindo mais. Esta é mais uma planta cujas flores não são o que parece. Aquela espécie de “bolinha” que há no centro é que é a flor. As falsas pétalas coloridas na verdade são folhas modificadas. Por esta razão, conforme o buquê começa a formar-se as flores ainda são verdes, amadurecendo lentamente até adquirir a cor final.

hortensia02A hortênsia tem diversas utilizações na composição de um jardim. Pode ser plantada tanto em vasos como diretamente no solo, isolada ou em grupos – é comum ver o uso de hortênsias em grupos numerosos -, fomando uma cerca-viva. Fica bem em borbaduras e maciços. Também podem ser cultivadas como planta de interior desde que haja uma boa ventilação e não faça calor excessivo no local onde ficará.

Devido a seu formato, muitas flores e caule grosso central, é muito utilizada para decoração, compondo arranjos bem variados acompanhadas de outras flores e folhagens.

No Japão existe um chá chamado ama-cha, feito com chá verde e folhas de hortênsia. Este chá tem uso cerimonial, na cerimônia do aniversário de Buda, quando sua estátua é banhada com o chá. Também é consumido durante o Hanami (especie de festa das flores), quando os japoneses reunem-se para apreciar as flores, entre fins de março e princípios de abril.

hortensia04Por ser planta rústica exige poucos cuidados, mas preferencialmente deve ser cultivada em solo rico em matéria orgânica. A hortênsia prefere solos ácidos, onde cresce mais colorida (tanto folhas como flores) e tem maior desenvolvimento. Mas em solos alcalinos, apesar de um colorido menos atraente também vive muito bem.

Deve ser regada com muita freqüência. Em climas mais secos convém regar diariamente, principalmente enquanto está florindo. Aqui em Portugal temos um grande problema com a água. A água daqui é dura, água calcária, contendo muitas impurezas. Este tipo de água é inadequado para ser utilizado na rega de hortênsias, prejudicando seu desenvolvimento. É conveniente neste caso regá-la com água de chuva.

hortensia05Deve ser cultivada à meia sombra, com luz solar indireta mas em boa quantidade, onde o clima é mais seco, e sob sol pleno onde há mais umidade no ar. Aqui por estas bandas do planeta onde me encontro, não convém tê-la em local onde fique exposta ao sol direto, principalmente no Verão. Como o Verão daqui é muito quente e seco, se fica exposta ao sol queima-se. Já no sul do Brasil não tem qualquer problema se cultivada sob sol pleno, visto que o Verão é chuvoso. Evite plantar hortênsias junto a árvores ou outras plantas com as quais ela possa competir pela umidade.

Em qualquer época do ano pode-se fazer o transplante de uma muda, menos nos meses mais quentes pois dificilmente vingarão. Caso adquira ou tenha produzido uma muda de hortênsia e queira transplantá-la tome alguns cuidados. O solo no qual será plantada deve ser bem rico em matéria orgânica. Plantando diretamente no solo, faça um buraco que tenha duas vezes o diâmetro da raiz da planta. A planta deve ficar no mesmo nível do chão. Afofe um pouco a terra que a envolve mas sem descobrir as raízes. Com a terra afofada as raízes espalham-se melhor. Aperte levemente o solo ao redor da planta para eliminar bolsões de ar. Regue bem. Procure colocar uma cobertura vegetal junto à base para que ela não perca umidade facilmente.

Deve ser adubada na Primavera plena, com adubos que contenham potássio mas pouco nitrogênio e fósforo. Existem adubos específicos para hortênsias que devem ser utilizados em intervalos de 15 a 20 dias. No inverno deve ser adubada com orgânicos para estimular seu crescimento. Excesso de adubo pode prejudicar a hortênsia, levando a planta a produzir muitas folhas e poucas flores.

Quando acabar a floração é hora de podar as hortênsias, para que no ano seguinte tenha uma floração mais intensa. Caso seja cultivada em local de inverno rigoroso a poda deve ser deixada para finais do inverno. A hortênsia não suporta temperaturas abaixo dos -3ºC, necessitando de uma poda extra. Caso isto aconteça no ano seguinte não dará flores. Devem ser eliminados os galhos mortos, secos ou doentes, brotos paralelos que tenham surgido a partir da raiz (estes não dão flores), galhos mal orientados ou que se sobressaiam demais. Esses ramos que tiveram um crescimento exagerado se não forem cortados podem prejudicar o crescimento como um todo da planta. Os buquês já secos também devem ser retirados pois consomem energia desnecessária da planta. Não corte os galhos que não tenham dado flores pois são os que darão flores no ano seguinte.

Hortênsia com Clorose.

Hortênsia com Clorose.

A reprodução das hortênsias faz-se por estaquia, sendo o Outono a melhor época do ano tanto para a multiplicação como para o transplante. As mudas podem ser feitas a partir dos galhos cortados durante a poda, dando preferência aos mais jovens e saudáveis. Para facilitar o enraizamento pode-se utilizar um hormônio enraizador. Leva cerca de 60 dias para que se desenvolvam as raízes.

A hortênsia pode ter alguns problemas com pragas e carência de nutrientes. Entre as pragas que costumam atacá-la estão os moluscos (caracóis) e pulgões, aranhas que podem ser eliminados com inseticidas. Caso as folhas fiquem amarelas a planta está doente, com Clorose, sendo necessário um suplemento de ferro. Esta doença ocorre em hortênsias que são cultivadas em solos alcalinos.

COMO PRODUZIR AS DIFERENTES CORES

hortensia06Como falamos lá no comecinho há uma peculiaridade sobre as Hortênsias que minha mãe desconhecia. Pois é. A cor das flores é determinada pelo PH do solo onde está plantada. Uma mesma planta pode dar flores azuis, rosas ou brancas, enfim. Qualquer mortal pode escolher a cor das flores das hortênsias que tem no jardim de casa. Basta tornar o solo mais ácido ou mais alcalino. Existem fertilizantes à venda que ajudam a ativar a tonalidade das flores, tornando-as azuis ou rosas. Mas caso você queira fazer seus próprios experimentos sem recorrer às facilidades do mundo moderno, mãos à obra.

Para que sua hortênsia produza flores azuis o solo deve ser ácido. Em um solo rico em alumínio elas nascerão lindamente azuis, chegando ao violeta. Caso o solo não seja ácido faça uma mistura de 20 g de sulfato de alumínio, sulfato de ferro ou pedra ume, diluído em 5 litros de água e regue a planta com esta mistura duas vezes por semana, começando cerca de 40 a 50 dias antes do início da floração. Quanto mais alumínio contiver o solo onde está plantada a hortênsia mais escura será sua cor podendo nascer buquês de flores violetas. Há porém, outra “receita” específica para que a hortênsia produza flores violetas. Neste caso coloque palhas de aço usadas dentro de água. Deixe até que a água esteja da cor da ferrugem. Depois regue a hortênsia com esta água uma vez por semana.

Para que sua hortênsia produza flores rosas o solo deve ser alcalino. No caso de que sua hortênsia de flores azuis produza flores rosas, antes de mais nada, pode-a eliminando a maioria das folhas (isto é necessário para eliminar o máximo possível do alumínio que a planta contenha). Replante-a em um local com a terra preparada com uma mistura de 200 a 400 g de calcário dolomítico por m2. O calcário dolomítico é um corretivo para o solo que pode ser encontrado em viveiros ou lojas de plantas e produtos para jardinagem. Assim têm-se flores rosas de tonalidades variadas, podendo inclusive dar origem a flores brancas. Quanto mais alcalino o solo ficar mais clara será a cor das flores, culminando em hortênsias de buquês brancos.

Adicionando Carbonato de Sódio (não confunda com bicarbonato de sódio) à terra pode-se conseguir flores multicoloridas.

____________________________________________________________________________________________

Fontes:

Inforjardim

Jardineironet

Teach me Tea Cha

Para ver mais imagens de Hortênsias:

Wikimedia

Buquê de Noiva (Spiraea cantoniensis)

buquedenoiva00Este arbusto ficava à esquerda do portão lá de casa, isolado e na memória que tenho dele, parecia sempre florido. Brinquei muito na sua sombra. Até que um dia… foi arrancado para uma intervenção e nunca mais tive outro por perto.

Seu nome é Buquê-de-Noiva (Spiraea cantoniensis), em espanhol é Corona-de-Novia e em inglês Bridal Wreath Spiraea. Se olharmos os buquês entendemos a razão deste nome. É originária do Extremo Oriente (China e Japão).

O Buquê-de-Noiva é um arbusto que pode chegar a 2 m de altura e 1,5 m de diâmetro. É bem ramificado, sendo seus galhos finos e flexíveis. Suas folhas são simples, alternadas, com borda irregular e num verde escuro. Medem de 2 a 6 cm de comprimento. Dá-se bem em climas tropicais a temperados. Dependendo do clima, e de sua saúde, pode florecer desde o Inverno até a Primavera.

boquedenoiva01As flores são abundantes. Surgem pequenos caules agrupados no final de um galho. Em cada um destes caules forma-se um botão. As flores abrem-se formando um buquê. Como o arbusto é bem ramificado estes buquês acabam por surgirem em abundância, sendo que na plena floração, quase que cobrem totalmente o arbusto, encobrindo as folhas. Há duas variedades de Buquê-de-Noiva que se diferenciam pelas flores: existe a variedade de flores dobradas e de flores simples. Mas nas duas variedades as flores são pequenas, com cerca de 1 cm de diâmetro. As flores são atrativas para borboletas, são uma boa alternativa caso se queira a presença de borboletas no jardim. Os frutinhos amadurecem no outono.

buquedenoiva03Quanto aos usos que se pode dar à planta, o Buquê-de-Noiva fica muito bem isolado, mas pode ser plantado em grupos pequenos (de 2 a 3) em esquinas, grandes canteiros ou integrando maciços. É comum vê-lo em parques ou jardins públicos.

O Buquê-de-Noiva deve ser cultivado a sol pleno, mas tolera meia sombra, desde que receba muita luz solar durante a maior parte do dia. O solo precisa ser fértil. Não tolera ventos fortes por seus galhos quebrarem facilmente. Em climas muito frios pode ser afetado por geadas fortes. Deve ser regada regularmente, principalmente nos períodos secos, apesar de ser relativamente resistente às secas leves. É recomendado adubá-la antes do início da floração.

Não necessita de podas, exceto no caso de se querer mantê-la limpa por baixo, dando mais forma de uma árvore, sendo necessário eliminar os galhos mais baixos. Caso não haja interesse em mantê-la limpa por baixo, crescerá e formará uma moita densa.

O Buquê-de-Noiva pode ser reproduzido por estaquia, tanto feitas com galhos mais velhos como novos. O período mais adequado para sua reprodução é o Inverno.

No caso deste arbusto pode-se dizer que tudo são flores, já que dificilmente é afetada por alguma praga ou doença, tendo normalmente uma longa vida.

______________________________________________________________________________________________

Fontes:

Arboles y Arbustos

Ecolage

Floridata

Paisagismo Digital

Mais imagens em:

Wikimedia

Cananga-do-Japão (Kaempferia rotunda)

cananga02Engana-se quem leu o título e pensou tratar-se daquela velha novela.

Esta planta descobri através de uma pessoa conhecida. Ela tem um viveiro em sua casa e no meio de suas tantas plantas tinha um vaso imenso repleto de Canangas-do-Japão. Ela mostrou a flor, que apresentou como Flor-da-Terra, com um sorriso nos lábios, mostrando profundo encantamento com a beleza e exotismo da flor. Ao ver uma delicada flor como que brotando diretamente da terra também me encantei. A muda dada então era um presente para minha mãe que entreguei em mãos, repetindo todas as instruções dadas para o cultivo – e o sorriso de encantamento pela flor. Recentemente mamãe anunciou que a plantinha morreu.

A Cananga-do-Japão (Kaempferia rotunda) também pode ser chamada de Flor-da-Terra, Flor-da-Ressurreição, Lírio-Misterioso, Cananga ou Ilang-ilang-da-Terra. Em espanhol é chamada de Ilang-ilang-de-la-tierra. Em inglês é chamada de Peacock-ginger, Flower-of-the-earth.

É originária da Ásia (Japão), sendo parente do gengibre. É uma planta herbácea que pode chegar a 60 cm de altura. As folhas são matizadas em diferentes tonalidades de verde na parte superior, sendo avermelhadas na parte inferior, formando grupos de folhas unidas na base. A floração é na Primavera e ocorre antes do surgimento das folhas. As flores são levemente perfumadas e lembram orquídeas. A vida da flor é de cerca de um a três dias, mas abrem continuadamente fazendo com que a floração dure mais de um mês.

cananga01Prefere ambientes quentes e úmidos e devem ser cultivadas sob sol pleno ou a meia sombra. O cuidado é que o ar que a circunda tenha sempre umidade, pondendo-se tê-la próximo a fontes de água. As regas devem ser moderadas, pois em excesso pode levar ao apodrecimento dos bulbos ou surgimento de fungos.

Se plantadas em um vaso este deve ser baixo, pois quando as flores aparecerem terá uma boa estética. No plantio em vasos deve-se misturar uma parte de terra comum, dois de composto orgânico e uma de terra vegetal. Se plantadas em canteiros, enquanto estiverem com folhas formarão um volume verde quase totalmente vertical, mas deve-se levar em conta o que se plantará ao redor pois as flores ficam mesmo juntas ao solo. O solo deve ser rico em matéria orgânica para que a planta tenha um bom desenvolvimento. Quanto a propriedades medicinais das plantas, seus rizomas são utilizados para tratamentos de pele, triturados ou secos misturado a água formando uma pasta, além de serem acrescentadas outras ervas.

No Inverno a planta entra em um período de dormência que dura até a Primavera seguinte. Neste período de dormência as regas devem ser diminuidas ao mínimo ou mesmo suspensas.

A reprodução é feita pela divisão dos rizomas que devem ser plantados em uma mistura de terra como foi descrito acima.

______________________________________________________________________________________________

Fontes:

Jardim de Flores

Cananga

Rainha da Noite (Hylocereus undatus)

rainhadanoite03A Rainha-da-Noite é uma flor espetacular. Possui flores de grandes dimensões e perfume intenso, produzindo um fruto saboroso e rico em vitaminas. A sua floração era um espetáculo lá em casa, sendo que todo dia verificávamos se havia alguma flor prestes a abrir. Quando acontecia esperávamos a noite chegar para ir ao jardim admirá-la e nos embebedarmos em seu perfume.

Além de Rainha-da-Noite (Hylocereus undatus) também é chamada de Flor-da-Noite, Dama-da-Noite, Pitaia, Cardo-Ananás, Flor-da-Lua, entre muitos outros. Em espanhol é chamada de Reina-de-la-Noche, Flor-de-Caliz, Pitahaya-Orejona entre outros. Em inglês é conhecida por Dragonfruit, Belle-of-the-Night, entre outros. No Oriente é conhecida como Fruta Dragão porque tanto o fruto como o caule que antecede as flores é recoberto por escamas que lembram as das tradicionais figuras dos dragões. O nome pitahaya deriva de palavra indígena que quer dizer fruto de escamas.

rainhadanoite01Não há certezas sobre a origem desta planta, sendo provavelmente da Índia ou das zonas tropicais do continente americano, desde o México até a Colômbia.

É uma cactácea de ciclo de vida perene, com raízes fibrosas e numerosas. Possui raizes aéreas das quais faz uso para fixar-se no solo ou em alguma superfície, além de serem utilizadas para a obtenção de nutrientes. Produz uma grande quantidade de ramos divididos em artículos. Só começa a florir após o terceiro ano e desde que cultivada em condições adequadas. A floração dura de finais da Primavera até princípios do Outono, sendo mais intensa em pleno Verão. As flores só desabrocham quando começa a anoitecer, permanecendo abertas até começar a nascer o sol. Algumas podem chegar a ter 3o cm de diâmetro. Produz um fruto comestível de casca vermelha e polpa esbranquiçada. Sua consistência lembra a do kiwi e o sabor é semelhante ao melão.

No paisagismo pode ser utilizada tanto em vasos como trepadeira. Devido às grandes dimensões que pode alcançar é mais apropriada para o plantio no solo, junto a uma superfície na qual as raízes aéreas possam agarrar-se. É ideal para jardins de pedra e pode também ser plantada junto a uma árvore na qual possa enramar-se.

rainhadanoitefrutoA Rainha-da-Noite também tem utilidades medicinais. Os frutos são ricos em vitaminas e fósforo, auxiliando na digestão. Pode ser consumido tanto ao natural (a polpa) como em sucos, geléias e doces. Pode auxiliar na redução do colesterol, regulação da diabetes e em gastrites. As sementes tem efeito laxante. Os talos e flores podem auxiliar em casos de problemas renais, assim como podem ser consumidos cozidos como um legume.

A Rainha-da-Noite deve ser cultivada preferencialmente em sol pleno, mas tolera meia sombra. Não suporta temperaturas abaixo dos 13ºC, sendo ideal quando está entre 18 e 32ºC. Caso passe por um longo período de frio pode mesmo morrer. O solo para seu cultivo deve ser leve com uma mistura de uma parte de terra de jardim uma de composto orgânico e duas de areia. As regas devem ser espaçadas, pois o excesso de água pode apodrecer a planta. Só deve ser regada quando o solo estiver seco na superfície. De 3 em 3 anos convém ser replantada.

A reprodução da Rainha-da-Noite pode ser feita por estaquia dos caulas ou por sementes. O método mais prático é por estaquia. Quanto maior for o segmento utilizado para a criação de uma muda mais rápido será seu enraizamento. Pode-se utilizar produtos que estimulem o enraizamento para apressar o processo, pois a tendência é que demorem cerca de 2 meses até enraizarem. Neste período de espera pelo enraizamento deve-se ter muito cuidado para evitar o excesso de umidade que pode levar ao apodrecimento da base. As estacas devem ser enterradas a apenas 1 cm de profundidade. Os possíveis brotos laterais que apareçam devem ser eliminados deixando apenas os que estejam mais verticais, permitindo que a planta tenha um crescimento melhor.

Quanto à reprodução por sementes, nós meros amadores, devemos deixar para profissionais. Esta reprodução é mais adequada para a produção de mudas para o melhoramento da espécie.

______________________________________________________________________________________________

Fontes:

Jardineironet

Jardim de Flores

Toda Fruta

Para ver mais imagens da Rainha-da-Noite visite a Wikimedia

Rosinha de Sol (Aptenia cordifolia)

rosinha00A Rosinha-de-Sol (Aptenia cordifolia) é uma planta que encontrei por um acaso. Passava diante de uma escola e vi uma trepadeira diferente próximo ao portão. Parei, olhei mais de perto e adorei a florzinha que vi. Colhi dois galhinhos e enfiei na terra assim que cheguei em casa, sem esperanças de que vingariam. Hoje, mais de 3 anos depois, tenho uma floreira pendurada na varanda totalmente coberta pela plantinha que se espalhou, e cheia de lindas flores rosas.

Além do nome Rosinha de Sol ela pode ser chamada de Aptênia ou Maringá. Em espanhol é chamada de Rocío, Escarcha e Aptenia, e em inglês de Sunrose. O nome científico Aptenia vem do grego apten que significa sem asas. Cordifolia vem do latim cordis e folius, que significa coração e folhagem, devido a suas folhas em forma de coração. É nativa do sul do continente africano, de zonas litorêneas.

rosinha01Tem ciclo de vida perene, é uma planta suculenta, rasteira que pode chegar a 15 cm de altura e mais de 2m de diâmetro ao todo. Um mesmo ramo pode chegar a 60 cm de comprimento. As folhas podem atingir 3 cm de comprimento e as flores até 2 cm de diâmetro.

As folhas são ovais, lembrando a forma de um coração. A coloração varia conforme a época do ano, passando de um verde intenso brilhante até um verde claro e menos brilhante. Há uma variedade que tem folhas com bordas brancas. As flores são brancas, amarelas, rosas ou vermelhas. Tem pétalas muito finas e numerosas.

Seu crescimento é horizontal, formando um tapete perene. Pode ser cultivada com outras suculentas ou cactos, mas como é rasteira e espalha-se muito, não deve ser cultivada com outras plantas de porte reduzido. É excelente para formar um tapete ao redor de árvores como palmeiras ou de copa pouco densa que permita que a planta receba muito sol. Pode ser utilizada como forração, em canteiros ou maciços, bordaduras e vasos, principalmente suspensos. Em vasos suspensos fica pendente dando um belo efeito. Também fica muito bem em jardins de pedras e conforme se expande fecha bem o solo, impedindo o crescimento de ervas daninhas.

rosinha06Na ponta de cada ramo forma-se uma espécie de dupla de chifres da mesma cor das folhas. Do meio destas duas antenas, ou chifres, abre-se um espaço, pelo qual sai a flor. Conforme o dia termina e a flor fecha-se, voltam em parte a abrigar-se neste espaço entre os dois chifres. As flores só abrem durante o dia e podem durar vários dias. Assim que o sol começa a sair de seu alcance começam a fechar-se. A floração dura toda a Primavera e Verão, podendo aparecer algumas poucas ainda no Outono e Inverno, dependendo da incidência de sol. A polinização é feita por abelhas e besouros.

O fruto forma-se entre as duas antenas ou chifres das quais saiu a flor, sendo muito pequeno. Este fruto é dividido em 4 gomos, que quando maduro e as sementes estão prontas seca.

rosinha04Tolera temperaturas extremas, mas abaixo dos -5ºC a planta pode morrer se não for devidamente protegida. Como o próprio nome já diz, gosta de muito sol, mas pode ser cultivada à meia sombra também. Dá-se bem em qualquer tipo de solo. Como toda planta suculenta tem reservas próprias de água, mas precisa de uma rega regular para que mantenha-se com uma bela tonalidade verde nas folhas e com muitas flores, principalmente quando o tempo está quente e seco. Se a terra está sempre úmida não ficam com um verde tão intenso, ganhando uma tonalidade mais clara. Nunca pode ser encharcada durante a rega.

No inverno, principalmente em climas mais frios, fica muito feia, com muitos ramos secos e caem grande número de folhas. Convém, então, podá-la para que quando chegue a Primavera tenha um melhor crescimento e dê mais flores. Esta experiência foi pessoal. No primeiro ano não podei a minha Rosinha-de-Sol, no ano seguinte teve um crescimento modesto e deu muitas flores. Já no outro ano, como ficou muito feia no Inverno, podei os ramos mais longos, deixando-a com metade de seu comprimento. O crescimento na Primavera seguinte foi incrível, cobrindo completamente o vaso e expandindo-se para além dele, além de ter dado mais flores ainda.

rosinha05A melhor época para a reprodução é em princípios da Primavera, mas se for cultivada em local de clima quente, qualquer época do ano pode ser feita sua reprodução. A multiplicação pode ser feita por estaquia, por sementes, divisão de ramas e mergulhia.

Ao preparar um vaso para recebê-las, convém misturar duas partes de areia, uma de composto orgânico e uma de terra comum. Coloque pequenas mudas feitas de pedacinhos dos ramos (estaquias) com pelo menos 4 folhinhas, em um espaçamento que deve ter 15 cm entre mudinhas. Mas dependendo das condições onde será cultivada este espaçamento pode ser ampliado, pois na Primavera cresce vigorosamente. Durante os primeiros dias após o plantio deve-se regar frequentemente, mantendo a terra úmida, até que a planta enraize. Não é difícil perceber quando a planta já se adaptou ao novo vaso. Nos primeiros dias após o plantio, as folhas ficam murchas, caso o raminho utilizado tenha alguma flor ela abrirá e fechará normalmente. Já as folhas só ganham melhor aspecto, voltando a ser grossinhas, quando a planta já se enraizou. Assim que isto acontecer, as regas podem ser mais espaçadas.

É uma planta invasora sendo que, se abandonada, pode continuar seu crescimento invadindo a flora nativa local. É comestível com sabor próximo ao espinafre.

____________________________________________________________________________________________

Fontes:

FazFacil

Florpedia

Jardineironet

Página com imagens da Rosinha de Sol:

CalPhotos

Lírio da Paz (Spathiphyllum wallisi)

liriodapazHá quem confunda Copo-de-Leite com Lírio-da-Paz. Mas não confunda. São parecidos mas não são a mesma coisa.

O Lírio-da-Paz (Spathiphyllum wallisi) também é conhecido como Bandeira-Branca, Espatifilum ou Espatifilo. Em espanhol também é chamado de Cuna de Moisés (Berço de Moisés). É uma planta originária da América Central e do Sul, ocorrendo na Natureza na Venezuela, Colômbia e Panamá.

É mais uma planta cuja flor não é o que parece, como no caso do Copo-de-Leite. A parte branca é uma folha modificada. As flores estão reunidas na espádice, aquela parte compridinha toda cheia de carocinhos que fica envolta na folha branca (veja foto ao lado).

É uma planta apropriada para dentro de casa, ou áreas cobertas, já que se adapta bem a lugares pouco ensolarados. O Lírio-da-Paz é considerado um filtro de ar natural pois absorve substâncias químicas presentes no ambiente, ajudando na despoluição do ar, sendo outra razão para tê-la dentro de nossas casas além de sua beleza.

Pode atingir de 50 cm a 1,20 m de altura, chegando a 60 cm de diâmetro, formando uma touceira, com novos brotos saindo lateralmente à planta principal, a partir da base. Suas folhas são compridas e finas como uma folha de papel, em um tom verde escuro brilhante. Seu ciclo de vida é perene, mas precisa de um período de descanso no Inverno.

liriopazDeve sempre ser cultivada em local protegido do sol direto, já que este queima-lhe as folhas. Isto não significa que goste de pouca luz, pelo contrário, ambientes luminosos são seus preferidos, principalmente quando estão florindo. Mas dá-se bem mesmo em ambientes mal iluminados, porém neles florem menos. Com o passar do tempo, em ambientes com pouca iluminação, suas “flores” podem tornar-se esverdeadas.

Não tolera o frio ou mudanças bruscas de temperatura. Temperaturas inferiores a 15ºC são praticamente mortais para esta planta. Por isto, no Inverno precisa de proteção extra onde ele é mais rigoroso.

Floresce durante a Primavera e o Verão, quando começam a surgir longos caules onde lentamente a folha verde começa a ficar branca, envolvendo as flores que só ficam expostas quando estão maduras. Nesta fase de floração deve-se regar duas vezes por semana, no máximo três, tendo o devido cuidado de não molhar as flores. Uma maneira de mantê-la sempre com alguma umidade em seu entorno, é colocar o vaso sobre um prato com pedras molhadas, ou ter um recipiente próximo com água por exemplo. A umidade deve estar no ar, não encharcando a terra. Se tem a planta em um lugar com ar condicionado ou calefação, e portanto, tem um ambiente seco, deve-se pulverizá-la com água morna pois necessita de alguma umidade no ar para ficar saudável. Caso precise de mais água do que está recebendo, suas folhas ficam abatidas, murchas, e assim que se começa a regar a planta, as folhas recuperam-se instantaneamente. Durante a floração, deve ser adubada em um espaço de 20 em 20 dias.

liriopaz00Em sua fase de crescimento, que é mais rápido no Verão, também deve ser regada de duas a três vezes por semana. Regue sempre com água à temperatura ambiente, nunca mais fria do que a temperatura do ambiente onde ela se encontra pois o Lírio-da-Paz pode sofrer com o choque de temperatura. Se estiver tempo quente, convém que a água esteja morna.

Pode-se fazer mudas da planta durante todo o ano, exceto quando está florindo. A multiplicação é feita por divisão de touceiras, retirando a planta do vaso, com cuidado para não deixar as raízes sem terra. Separa-se assim as mudas e replanta-se. Assim que termina a floração pode-se fazer esta divisão de touceira e replantá-la, mas convém que seja feito este replante em princípios da Primavera, época mais apropriada para seu desenvolvimento. Como tem crescimento rápido, deve-se sempre transplantá-la para um vaso ou um espaço maior do que o que ocupou anteriormente. Precisa de solo rico em matéria orgânica e uma boa drenagem durante todo seu ciclo de vida.

Com a aproximação dos meses mais frios, e o fim da floração, convém dar à planta um período de descanso. Deve-se diminuir a rega até que toda a planta murche. Isto mesmo, até que a planta murche! Mas cuidado para não matá-la com falta de água, continuando a regar, porém, com um maior espaçamento. É que no Inverno ela necessita de um repouso, com pouca rega e temperatura rondando os 15ºC, nunca menos. Se ela não passa por este descanso no Inverno pode não florir no ano seguinte.

Alguns problemas podem surgir com a planta como o aparecimento de pragas, fungos ou carência de nutrientes. Suas pragas mais comuns são ácaros-aranhas, pulgões e moscas-brancas, normalmente quando o ambiente está muito seco. Também pode ser atacada por fungos, como o Cylindrocladium spp, que começa a amarelar as folhas evoluindo para uma queimadura irremediável. As folhas doentes devem ser arrancadas. O excesso de água leva ao surgimento de um outro fungo que pode destruir completamente a planta a partir da raiz. Neste caso uma pessoa normal como eu, que tem a plantinha por lazer e para enfeitar a casa, só descobre o problema quando já não há mais salvação. Se as bordas das folhas ficarem amareladas há falta de magnésio, sendo necessário a adubação com um substrato que tenha este mineral em sua composição. Caso as folhas comecem a ficar queimadas nas bordas, cuidado com a adubação que pode estar excessiva. Caso não floresça pode ser por falta de nutrientes ou de luz. Assim, adube um pouco mais e deixe-a em local mais iluminado, nunca sob sol direto.

______________________________________________________________________________________________

Para saber mais:

Infojardin