A Espinha do Diabo


espinazodeldiablo00Este nome é daqueles que já o título começa a dar arrepios. O filme tem no Brasil o título de A Espinha do Diabo, mas em Portugal chama-se Nas Costas do Diabo, e o título original é El Espinazo del Diablo. Seja um nome ou outro, retrata o filme com perfeição, quer dizer, o clima deste filme realizado em 2001, mas ambientado nos anos de 1930.

A história deste filme mistura paranormalidade e realidade. O filme é ambientado durante a Guerra Civil Espanhola e toca em um assunto que foi muito duro na época: os filhos dos republicanos. Por toda a Espanha, pais desesperados com o que poderia acontecer a seus filhos, enviavam-nos para lugares distantes. Muitos acabaram saindo da Espanha para nunca mais voltar, ou por não terem mais família para a qual voltar, ou por simplesmente o contato ter-se tornado impossível durante a ditadura franquista. A História destas crianças é mais um dos inúmeros tristes capítulos desta guerra.

No caso do filme, esta faceta da guerra é explorada de uma forma sutil, sendo apenas uma introdução para a história. Um menino é abandonado por seu tutor, no orfanato de Santa Lucía, no meio do nada. Este menino é Carlos (Fernando Tielve), que só se dá conta de que chegara ali para não sair quando já é tarde demais. Assim que chega consegue alguns amigos, graças às revistinhas de história em quadrinhos que trazia na mala. Mas nem todos são amistosos, como acontece com Jaime (Iñigo Garcés) que é uma espécie de líder dos garotos. Conforme vai se acostumando com a idéia de que seu tutor não irá buscá-lo, vai descobrindo os mistérios daquele orfanato que tem, bem no meio de seu pátio, uma bomba fincada no solo, largada por um avião nacionalista.

espinadeldiablo00

Cena em que Carlos corre atrás do carro de seu tutor.

O orfanato é dirigido por Carmen (Marisa Paredes), auxiliada por Casares (Federico Luppi), um professor de ciências e médico improvisado. Além deste casal, os personagens adultos também contam com Conchita (Irene Viseto) e Jacinto (Eduardo Noriega). Os segredos dos adultos, e suas relações conturbadas, acabarão por definir o destino do orfanato ao longo do filme. E enquanto os adultos travam suas tortuosas relações, Carlos começa a ver algo muito estranho… um fantasma… o fantasma de Santi (Junio Valverde), um antigo interno que, com o decorrer do tempo revelará a Carlos o que lhe aconteceu e o que deseja.

Santi

Santi

Foi um filme assustador de se ver, arrepiante do começo ao fim. Não apenas pela história de fantasma que contém o filme, a própria história, ou melhor História, explorada como pano de fundo mostra-se tão arrepiante quanto o fantasminha que assusta Carlos pelos corredores. É como se o filme nos dissesse que a vida real pode ser tão ou mais assustadora do que um fantasma nos perseguindo.

Este é mais um filme do mexicano Guillermo del Toro, o mesmo de Hellboy e Blade. Este filme e O Labirinto do Fauno formam uma espécie de obra conjunta, já que os dois retratam crianças em plena Guerra Civil Espanhola, tendo suas vidas irremediavelmente transformadas pelos acontecimentos. Além da direção de Guillermo del Toro, há outra marca nesta produção mexicana e espanhola que não pode passar desapercebida: os produtores do filme são os irmãos Pedro e Agustín Almodóvar, sendo o mais conhecido o cineasta Pedro Almodóvar, diretor de filmes como De Salto Alto, Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos ou Voltar. O site oficial do filme está aqui (em espanhol).

Fique com o trailer deste arrepiante Drama/Terror.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s