6 Animais Extintos nos últimos 150 anos – Felinos


01) Leopardo-de-Zanzibar (Panthera pardus adersi) :

leopardozanzibar O Leopardo-de-Zanzibar foi declarado extinto em fins dos anos 90 do século XX. Não há quaisquer fotos ou vídeos deste animal que se supõe extinto a cerca de 20 anos.

Viviam na ilha de Zanzibar, Tanzânia, Oceano Índico. Supõe-se que com a separação da ilha do continente africano devido ao aumento do nível do mar no final da última glaciação, estes leopardos evoluíram separadamente dos existentes no continente.

Não se sabe como vivia, nem como se reproduzia, muito menos de que se alimentava. Nem sequer sabe-se se este leopardo é uma sub-espécie ou se seria uma variedade do Leopardo-Africano (Panthera pardus pardus). O pouco que se sabe, graças às únicas 5 peles conservadas destes animais, é que era menor que os leopardos do continente africano, provavelmente uma adaptação ao habitat. Animais que vivem em ilhas tendem a ser menores, devido à menor área e menor quantidade de alimento. As pintas também são diferenciadas dos leopardos do continente.

Até os anos 1960 vivia por toda a ilha de Zanzibar, principalmente no sul, leste e norte. Porém, em 1964 deu-se a Revolução de Zanzibar, quando John Gideon Okello destituiu o Sultão Jamshid bin Abdullah e proclamou a república. O novo governo decidiu erradicar o leopardo, para evitar os ocasionais ataques ao gado. A erradicação tinha a sua lógica para estas pessoas, já que existia na tradição popular a crença de que animais como o leopardo eram alimentados e mantidos por bruxas, que soltavam-nos para prejudicar os aldeões. A medida de erradicação foi bem sucedida.

A expansão do habitat humano, o aumento das áreas agrícolas e a caçada desenfreada levou o animal a tornar-se raro. No entanto, estudos feitos nos anos 90, buscando informações com os habitantes locais sobre este animal, levaram ao conhecimento de que existiram contatos visuais entre 1990 e 1996. Entre os anos de 1985 e 1995 o Conselho Nacional de Caçadores tinha registros dos leopardos que eram caçados. Concluiu-se com isto que, pelo menos até 1996 alguns espécimes teriam sobrevivido. Mas, com o seguimento da pesquisa, os investigadores não conseguiram qualquer registro do Leopardo-de-Zanzibar, nem visual, nem sonoro. Em 1997 o projeto foi abandonado, considerando-se assim a espécie extinta. Porém, para os otimistas ainda resta alguma esperança.

___________________________________________________________________________________________

02) Leão-do-Atlas (Panthera leo leo):

leaoatlasO Leão-do-Atlas foi extinto na Natureza em 1922, quando o último exemplar foi morto no Marrocos.

São os maiores e mais ferozes leões que se conhece. Chegam a pesar 270 a 330 kg. O único felino maior que o Leão-do-Atlas é o Tigre-Siberiano. Os machos têm uma grande juba negra que cobre praticamente toda a parte inferior de seu corpo.

Este leão era o mais utilizado pelos antigos romanos nos espetáculos do Coliseu. Graças à utilização desenfreada de animais em espetáculos, os romanos promoveram a extinção total o parcial de várias espécies, inclusive a extinção parcial deste leão em algumas zonas. Posteriormente, o Leão-do-Atlas foi extinto na Líbia em 1700, depois na Tunísia em 1891, Argélia em 1899 e por fim no Marrocos em 1922.

Alguns leões existentes em zoológicos ao redor do mundo são descendentes deste leão, porém são miscigenados com outros leões, não representando uma linhagem pura. Foi criado um projeto visando a recriação do Leão-do-Atlas, para uma futura reintrodução dos mesmos na natureza. Por esta razão, apesar de extinto na Natureza, ainda resta uma esperança.

___________________________________________________________________________________________

03) Leão-do-Cabo (Panthera leo melanochaita):

leaocaboO Leão-do-Cabo foi extinto na Natureza em 1865.

Vivia no sul da África do Sul. Eram, segundo relatos, os maiores leões, e com a juba mais escura de todos os leões da porção sul do continente africano. A juba era marrom escura, menos na região ao redor da cabeça, chegando até os ombros e barriga. Mediam até 335 cm os machos, e as fêmeas chegavam a 275 cm. Com o clima frio e seco de seu habitat, dispunham de menos alimento, vivendo de forma solitária. Alimentavam-se de antílopes, zebras, girafas ou búfalos. Com a chegada dos colonos europeus animais domésticos também entraram em sua dieta. Leões velhos, que já não podiam caçar tão bem, parecem ter sido responsáveis por ataques a pessoas.

No século XVII começaram a chegar colonos vindos da Holanda, França, Alemanha, Escócia e Dinamarca. Os leões viviam sem preocupações, atacando qualquer coisa que se mexesse. Com os colonizadores chegaram animais domésticos, que eram mais fáceis de capturar do que as presas tradicionais dos leões. Em 1652 foi construído o Castelo da Boa Esperança, para evitar os ataques feitos por estes leões. Primeiro era uma construção de madeira, que em 1666 foi substituída por uma de pedra para que a defesa fosse mais eficaz. Tendo seu habitat diminuido pelo aumento do habitat humano, sendo caçados por esporte ou para defesa dos rebanhos, a população destes leões foi diminuindo. O último Leão-do-Cabo foi abatido em 1865.

O sul-africano John Spence fez uma busca incansável por algum possível descendente de Leões-do-Cabo, visto que havia notícias de que alguns exemplares foram levados à Europa e mantidos em cativeiro antes da extinção na Natureza. Em 2001, encontrou em um zoológico da Sibéria uma família de leões. A origem deles era incerta já que chegaram ao zoológico abandonados por um circo. Spence conseguiu que dois filhotes fossem levados para o zoológico da Cidade do Cabo. Foram feitos estudos de DNA que posteriormente comprovaram que eles eram realmente espécimes de Leões-do-Cabo, ou ao menos descendentes miscigenados destes. É mais uma espécie que, talvez, possa voltar a existir na Natureza.

___________________________________________________________________________________________

04) Tigre-de-Bali (Panthera tigris balica):

tigrebaliO Tigre-de-Bali foi extinto provavelmente em 1937, quando o último exemplar (uma fêmea adulta) foi morto, em Bali (Indonésia).

Era o menor de todos os tigres, pesando em torno de 100 kg, e medindo entre 220 e 230 cm os machos e 190 e 210 cm as fêmeas. Num geral tinha um aspecto bem semelhante ao Tigre-de-Java, mas com riscas mais escuras do que este. Tinha uma pelagem densa mas de cor alaranjada intensa, com menos riscas que outros tigres, riscas estas que se ramificavam em riscas menores.

A população total de Tigres-de-Bali com certeza nunca foi grande, devido às poucas dimensões da ilha que habitavam. Com o aumento da população humana e de áreas cultivadas, levando à derrubada de florestas e diminuição da oferta de alimentos para os tigres, muito de seu restrito habitat se perdeu.

Segundo tradições locais de Bali, seus bigodes em pó eram um potente veneno contra o inimigo. Outra tradição é que aos recém-nascidos devia-se dar um amuleto de proteção feito com um colar de coral negro (que também encontra-se em extinção) e um dente ou pedaço de osso de Tigre. Com o desaparecimento dos Tigres-de-Bali os amuletos passaram a ser feitos de ossos ou dentes de leopardos ou ursos malaios.

Em princípios do século XX, viviam apenas em áreas restritas nas montanhas, na parte oeste da ilha. A caça na ilha aumentou consideravelmente, sendo que muitos iam a ela apenas para caçar um Tigre-de-Bali. Há notícias de avistamentos destes tigres nos anos 40 e 50. A última tentativa de preservar este animal foi a criação do Parque Nacional de Bali em 1941. Porém é provável que nesta data já não existissem tigres a serem preservados. Como também não havia nenhum exemplar em cativeiro para reintroduzir na Natureza, nos anos de 1950, foi considerado extinto.

___________________________________________________________________________________________

05) Tigre-do-Cáspio (Panthera tigris virgata):

tigrecaspio

O Tigre-do-Cáspio ou Tigre-Persa foi declarado extinto em 2003, mas anteriormente já havia sido dado como extinto por volta de 1960, quando tornou-se muito raro.

Vivia desde o Curdistão (leste da Turquia e norte do Iraque) até oeste da China, na Geórgia, Armênia, Azerbaijão e outras repúblicas russas na região do Cáucaso. Em ocasiões foi visto em zonas no sudoeste da Sibéria. Podemos dizer de forma generalizada que habitava uma longa faixa por todo o sudoeste asiático.

É o terceiro maior tigre que já existiu. Os machos adultos pesavam em torno de 170 a 240 kg, e mediam entre 270 cm e 290 cm. Alimentavam-se de animais variados como porcos, gazelas, cervos, asnos, etc. Tinham uma pelagem amarela dourada, com uma grande área de pelos brancos na barriga, parte inferior do pescoço e patas, maior do que em qualquer outro tigre. No inverno a pelagem era mais longa para enfrentar o frio intenso, o que dava um aspecto de que o tigre tinha uma espécie de longa barba branca. Viviam em zonas onde a vegetação era mais densa, evitando áreas desérticas ou desmatadas. Migravam seguindo os rebanhos de suas presas, fato que levou os moradores de sua zona de habitação a chamá-los de tigres viajantes. Eram animais solitários, que reproduziam-se em um intervalo de 3 a 4 anos, tendo as fêmeas de 2 a 3 filhotes. Viviam entre 10 e 15 anos.

No século XIX, a maior parte da área onde vivia o Tigre-do-Cáspio passou a fazer parte do Império Russo. Em princípios do século XX, o tigre foi declarado indesejado na região, pois havia interesse do governo russo em criar colônias na área. As medidas russas foram severas, com uma perseguição implacável ao tigre, incluindo o envio do exército para exterminar a todos os tigres que encontrassem ao redor do Mar Cáspio. Os que sobreviviam eram considerados uma ameaça pelos colonos pois atacavam seus rebanhos. Após o extermínio e perseguição, houve o desmatamento das florestas, e os tigres sobreviventes recuaram para as áreas onde ainda havia florestas, para os pântanos e enfim para as montanhas. Além deste fato, a caça por si só já era uma ameaça ao tigre, visto que suas presas principais também foram alvo de caça e extermínio, e a pele dos tigres era muito valorizada.

Reza a lenda que foi graças a um Tigre-do-Cáspio que um dos principais rios da antiga Mesopotâmia (atual Iraque) recebeu o nome de Tigres.

A última área do antigo império russo, então URSS, onde foram confirmados avistamentos dos tigres foi no Tadjiquistão, em 1950. Nos anos 70 do século XX, foram noticiados vários avistamentos do Tigre-do-Cáspio, na Turquia, Iraque e Síria, mas nunca se conseguiu fotografar ou filmar um exemplar vivo.

Porém, há notícias de uma possível captura e morte de um tigre em 1997, no norte do Afeganistão, assim como casos de registros visuais não confirmados no Irã e na Turquia . Ainda há esperanças de que exista algum exemplar vivo.

____________________________________________________________________________________________

06) Tigre-de-Java (Panthera tigris sondaica):

tigrejavaO Tigre-de-Java foi provavelmente extinto nos anos 1970. Foi considerado oficialmente extinto em 1994.

Viviam na ilha de Java na Indonésia, onde encontraram-se fósseis de um tigre primitivo de cerca de 1,2 milhões de anos. No entanto, estes tigres descendiam de outra espécie oriunda do sudeste asiático.

Tinha uma pelagem escura com riscas finas, abundantes e pretas. As riscas distribuíam-se em pares pelas costas e quadris. Eram os tigres com mais riscas. Eram pequenos, sendo que os machos pesavam em torno de 100 e 140 kg, com um comprimento de 240 cm.

Até o final do século XIX existiam em abundância em Java. Com o aumento da população humana da ilha e conseqüentemente o desmatamento, seu habitat foi sendo destruído, incluindo suas presas, dando lugar a plantações e núcleos urbanos. Eram caçados por sua pele, por mero esporte ou para a defesa dos rebanhos. Em menos de 100 anos, passou de animal corriqueiro a animal em perigo.

Nos anos 50 do século XX a população total de Tigres-de-Java reduziam-se a cerca de 20 a 50 animais separados por toda a ilha. Em 1972 foi feito o último registro visual deste animal, e em 1979 foram vistas pegadas pela última vez. A última expedição feita em busca de algum remanescente deste tigre foi em 2002.

O Tigre-de-Bali seria uma subespécie do Tigre-de-Java. O corrente é considerá-los como espécies diferentes.

____________________________________________________________________________________________

Mais informações sobre animais extintos ou em extinção veja:

AnimalesExtincion.es

IUCN (International Union for Conservation of Nature) – website.

IUCN – Red List

Jalame

Saúde Animal

The Extinction Website

Anúncios

28 opiniões sobre “6 Animais Extintos nos últimos 150 anos – Felinos

  1. Olá Gabi! De que documentário você fala? Poderia nos dizer qual o nome para que possamos assistir e saber se nossa opinião seria tão pejorativa quanto a sua?
    E em relação ao texto deste post, gostou?

  2. Maravilha de blog, parabéns Locacinoca não só pela pesquisa como pela paciência com certos comentários…
    Esperamos que a lista de animais extintos pare de crescer, e para isso, conscientizar é fundamental. E é isso o que você faz aqui. Um abraço!

  3. olá ando vasculhando informaçoes referentes ao leao do atlas.Gostei do que foi postado poe vccs.Nas eu gosteria de se possivel vcs me fornecerem mais informaçoes a respeito.Sobre esse projeto que visa reintroduzi-lo na natureza.E se é verdade sobre a informaçao de que a dinastia de reis do marrocos dispoem do especime puro sem estar misturado com outras especies de leoes salvaguardado em uma reserva que seria uma montanha do marrocos.Peço por gentileza alguma referencia ha mais a respeito,obrigado pela atençao e até.

  4. É sacanagem.O animal que eu mais gosto é o que mais tem de animas extintos!Amo animais e acho uma pena isso tudo ter acontecido.Não sei como os caçadores gostam disso.Só sou a favor do alimento mas não matar por causa de roupas e decorações!E não adianta!Continuam caçando como loucos e as vezes o produto nem é consumido.Espero que parem com essa maluquice.Como não percebem que na própria caçada é mais dificil de achar o animal?Como nunca ouviram falar em extinção? É claro que ja ouviram falar mas pelo jeito nem dão bola. :(

  5. Nossa..Comos os caçadores não tem noção do que fazem..Olha quantos animais já foram extintos por culpa do ser humano!Se nós não existissemos não existiria uma espécie em extinção..Olhe,eu tento ajudar mais não da!!Eles vivem caçando e tirando peles,dentes de animais..Isso é um absurdo!
    SALVEM OS ANIMAIS!!
    Belle

  6. Belle, há caçadores que até tem noção do que fazem. O problema é que eles são apenas um dos muitos elos. Por vezes não têm alternativa para sobreviver. Não são os únicos culpados de um modo de vida destrutivo, apenas parte dele.

  7. mais que legau eu sepre is ver de peto soque os leão ta extintos eu to com meu tigre soque ele e un cachorro ele e coquer e outro que e tigre so soque coquer mitorado com damota fui

  8. gente eu achei que isso que os caçadores fizeram foi muito errado porque ninguém pode ser egoista de matar a natureza só pra vender.

  9. É triste saber q além dessas extinções estima -se para cerca de 2020 muitas outras espécies de felinos possam deixar de existir no planeta, entre elas os reis da selva, os leões q reduziram seus números de 750.000 para 20.000 espécimes nos dias atuais, pois além das mortes por caçadores essas mortes tiram da natureza os exemplares mais vigorosos , além de desestruturar a hierarquia dos bandos e criar um caos social.
    O planeta vai se calando e nós nos calamos antes mesmo de compreendermos o direito de deixarmos o planeta seguir seu curso como o planejado.

  10. Eu acho que não existe ainda nenhum Leopardo de Zanzibar, como diz no texto, não tem nenhuma foto ou video deste Leopardo de Zanzibar..

  11. Por que será que os humanos matam animais né ?! Só para ganhar dinheiro, esses caçadores idiotas, eu assisti um filme que foi baseado em fatos reais, era de 2 irmãos tigres, que fugiam dos caçadores, e no final fala assim que existia mais de 50.000 mil acho que de subespécies, e que hoje em dia existe menos de 5.000 mil de subespécies.

  12. parabéns pelo blog. fiquei feliz em saber, que exisem projetos para reintrodução dos leões do atlas e do cabo. espero que tentem fazer o mesmo com os tigres do cáspio e de java!

  13. sempre que vejo um animal extinto fico triste porque como dizem quanto mais melhor e aliais
    oque esses animais inocentes fizeram pra ganhar isso?
    imagina só se agente voltasse no tempo e impedisse isso!
    té mais gente! ;)

  14. gente se vocês tem o numero do pessoa ligues para que esse canallha se ja preso muito animas ja morreram e nos podemos fica sem animais isso calsa o deslisamento sociecomico para o mundo inteiro :(
    liguem genteeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee comcordo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s