Castro de Yecla


Muralhas do Castro de Yecla

Muralhas do Castro de Yecla la Vieja

Tente pronunciar este nome sem gagejar: Yecla de Yeltes. Conseguiu? Parabéns, você é espanhol(a).

Yecla de Yeltes é uma cidadezinha, ou melhor pueblo – como me corrigiram ao me referir à cidade quando lá estava -, da província de Salamanca. Fica a pouco menos de 80 km da cidade de Salamanca. Quando a visitei vi abuelos e abuelas, uma praça, casas de outros tempos, um mini-museu, e uma tranquilidade excessiva. Passamos por esta cidade para uma parada estratégica (busca desesperada de banheiro e visita ao museu) para depois seguir viagem até um castro, que fica a cerca de 1 km.

Para quem não sabe o que é um castro, são construções amuralhadas normalmente de formas arredondadas, de culturas anteriores à ocupação romana da Península Ibérica. Tinham em seu interior uma espécie de pré-cidade, um núcleo urbano primitivo, onde podiam habitar dezenas ou mesmo centenas de famílias, protegidas dos inimigos pelas muralhas de pedra. Sempre localizam-se em pontos elevados e providos de alguma fonte de água (nascentes ou pequenos rios), possuindo reservatórios para a mesma. Os castros eram locais de alguma complexidade, comportando as mais diversas atividades cotidianas de um núcleo urbano primitivo. Eram construídos por populações do Neolítico, mas alguns eram habitados na época dos romanos que acabaram por reaproveitá-los e, mesmo bem posteriormente, seguiram sendo habitados.

Vista aérea do Castro de Yecla la Vieja

Vista aérea do Castro de Yecla la Vieja

Fiz uma visita ao Castro de Yecla la Vieja, quando estava na faculdade. Foi o primeiro castro que vi na vida. Este castro continuava sendo escavado para estudos arqueológicos, em 2004 – como disse o responsável por cuidar do local – sob o comando do arqueólogo Ricardo Martín Valls. A muralha foi parcialmente reconstruida e nem é necessário ser especialista para ver que o castro estava em excelente estado de conservação. As origens deste castro remontam ao século V a.C., quando a região era habitada por um povo chamado Vetão (Veton ou Vetton em espanhol). Os vetões são contemporâneos dos lusitanos, e em sua máxima extensão, teriam habitado uma vasta região compreendida pelas atuais províncias de Salamanca, Ávila, Zamora e Cáceres, na Espanha, além de zonas dos Distritos da Guarda, Bragança e Castelo Branco, em Portugal. Aqui há um mapa com a provável área ocupada pelos vetões, e aqui outro, baseados nos achados arqueológicos.

Vale próximo ao Castro

Vista do vale próximo ao Castro

Pelos achados, acredita-se que além dos vetões, os celtíberos e romanos ocuparam o Castro de Yecla, em momentos distintos (por volta do século III a.C. os primeiros e por volta do século I d.C. os romanos). Foram encontradas inúmeras estelas funerárias com inscrições em latim, muito bem trabalhadas, que podem ser vistas no museu em Yecla de Yeltes.

Na época dos visigodos o Castro de Yecla la Vieja começou a entrar em decadência, sendo que provavelmente foi habitado até o século XII d.C., quando a população local foi trasladada para Yecla de Yeltes.

Os vetões não tinham uma agricultura muito desenvolvida e viviam basicamente do pastoreio. Tinham uma metalurgia rudimentar, pelo que demonstra os artefatos de ferro encontrados nos castros, que considera-se ser uma aquisição tecnológica do contato com os celtíberos, assim como uma olaria que produzia uma característica cerâmica pintada de laranja.

Os castros vetões tinham forma retangular. Eram construídos em pedra sem qualquer argamassa, com muralhas, torres, fossos e etc., completando uma defesa pré-existente na geografia local. A área em que está o Castro de Yecla la Vieja é elevada, e pode-se ver um vale mesmo ao lado, onde corre o rio Huebra. É protegido por uma muralha de cerca de 6 metros de altura e tem forma triangular. Na área mais plana próxima ao castro foram construídas defesas extras, uma espécie de barreira de pedras pontiagudas fincadas no chão. A vista que se tem do entorno é impressionante, e imagino o quanto tenha sido útil em outros tempos no que toca à defesa.

Ermida do Castro de Yecla la Vieja

Ermida do Castro de Yecla la Vieja

Percorrendo o Castro, foi-nos mostrado a quantidade de petroglifos existente na muralha, tanto na parte externa como interna. O principal elemento neles representado é o cavalo. Segundo o professor que nos acompanhava, yecla quer dizer égua, seria uma palavra anterior à romanização, e provavelmente deu origem à palavra espanhola yegua (égua). Algumas imagens destes petroglifos podem ser vistas aqui. São desenhos bem simples, e se nos aproximamos de alguns, podemos perceber que já foram coloridos, ainda resta neles algum pigmento perceptível.

Dentro do Castro foi construída uma ermida, em uma de suas laterais, dedicada à Virgen del Castillo (nome popular dado à Imaculada Conceição), da mesma época em que a população transferiu-se para Yecla de Yeltes e o castro ficou despovoado.

Foi um belo passeio, muito enriquecedor. Conheci um mundo bem distinto, dos indígenas ibéricos, pois é assim que os estudiosos referem-se aos povos pré-românicos.

O único problema foi a ressaca no dia seguinte.

Anúncios

Uma opinião sobre “Castro de Yecla

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s