O montado (ou dehesa)


Um montado composto por Freixos (Fraxinus angustifolia), próximo a Madri.

Um montado composto por Freixos (Fraxinus angustifolia), próximo a Madri (ES). Fonte:Wikimedia.

Logo que cheguei por estes lados, a primeira impressão que tive da fauna e flora que vi a princípio é que estavam mortas. A ação humana já havia matado tudo o que eu chamaria de natureza. Andando por São Paulo, ainda podemos reconhecer algo que possa ser denominado de Mata Atlântica, existem ilhas isoladas e preservadas que nos dá uma idéia de como era aquilo antes do início do desmatamento em larga escala. Na Península Ibérica (Portugal e Espanha) não há estas ilhas preservadas de mata nativa como temos pelo Brasil. As áreas de proteção ambiental, não preservam o que havia, mas o restou daquilo que foi irremediavelmente modificado pelo homem. Por esta comparação com o que eu conhecia e o que encontrei, senti uma profunda tristeza. Considerei como uma natureza morta. Aqui não há mais o que eu chamaria de natureza, pensei. Mas esta natureza modificada não tem nada de morta. Está cheia de vida, vida que eu não soube perceber em meu primeiro olhar. Só depois de conhecê-la fui compreender o que um professor na faculdade quis dizer: O meio modificado pelo homem também é natural, também é natureza.

Esta paisagem que julguei morta e sem vida, natureza modelada pelo homem, chama-se montado em Portugal, e dehesa na Espanha. Ela não se limita à Península Ibérica, e pode ser encontrada por todo o sul da Europa. Porém, como estamos por aqui, trataremos apenas daquilo que nos cerca. Este ecossistema é derivado dos antigos bosques mediterrânicos, com predominância de Sobreiros (Alcornoques, em espanhol) e Azinheiras (Encinas, em espanhol), existindo áreas onde pode-se encontrar outras espécies (muitas delas, assim como as duas citadas, pertencentes à família dos carvalhos). É deste sistema que se extrai a cortiça dos sobreiros que conhecemos mais pelas rolhas das garrafas de vinho, cujo maior produtor mundial é Portugal. Também é deste sistema que se produz o melhor presunto ibérico, segundo alguns, cujos porcos são alimentados pelos frutos das azinheiras. O montado/dehesa pode ser encontrado pelas províncias espanholas de Córdoba, Salamanca, Ávila, Badajoz, Cáceres e Huelva, e nas regiões portuguesas do Alentejo e Algarve (quase todo o centro sul do país).

Montado utilizado para a atividade pecuária

Montado utilizado para a atividade pecuária. Fonte: Projeto Montado/dehesa

O montado/dehesa é um sistema agrosilvopastoril resultante de um largo período de tempo de ação humana em sua modelagem e utilização. Ao longo da história da ocupação humana na Península Ibérica, houve uma modificação de tal maneira do meio ambiente que já não há um milímetro de terra nesta península que o homem não tenha transformado. Muito deste meio ambiente foi modificado para uso econômico, envolvendo atividades agropastoris e extrativistas, mas também por questões de defesa. Tal é a razão de, em espanhol, esta paisagem chamar-se dehesa, vem do latim tardio defensa (que é a palavra em espanhol para defesa). A limpeza dos bosques era uma forma de defenderem-se de emboscadas, pois assim via-se a uma certa distância a aproximação do inimigo. Mas ainda preciso descobrir porque em português diz-se montado (não foi por falta de procurar).

Este sistema antigo tem diferentes graus de maturidade, que pode ser percebido pela distribuição e distanciamento das árvores. O espaçamento das árvores também tem relação ao tipo de terreno. A presença das árvores não tem apenas fins econômicos, mas servem também para evitar a erosão dos solos, que tendem a ser pobres e ácidos, não sendo adequados para a produção agrícola em grande escala. Além da cortiça citada acima, há a extração de lenha, carvão vegetal, cogumelos, produção da bolota (bellota, em espanhol) seja para consumo animal ou humano, entre outros.

Quanto à pecuária, além da criação de porcos, há também de vacas, ovelhas e cabras, que acabam por auxiliar o homem na manutenção deste sistema, ao alimentarem-se da vegetação rasteira que se desenvolve por entre as árvores. O gado presente nos montados/dehesas são raças que se desenvolveram e adaptaram-se a este sistema, como os bovinos das raças avilenha e morucha. O gado ovino era o merino, que acabou sendo substituído ou cruzado com outras raças para aumento da produção de carne, devido à crise no mercado de lãs. O gado porcino, da raça ibérica, também sofreu um decréscimo décadas atrás, sendo cruzado com outras para o aumento da produção de carne, mas está recuperando espaço. O gado caprino é o mais estável e em crescimento, com produção de leite e carne.

Montado em Trujillo, Extremadura (ES). Fonte: Wikimedia

Montado em Trujillo, Extremadura (ES). Fonte: Wikimedia

Pessoalmente creio ser mais apropriado chamar esta paisagem de organização do espaço, onde há a utilização para fins agrícola, pecuarista, mas preservando a natureza com fins extrativistas. Ao preservar algo da vegetação, acaba-se por preservar espécies animais, todo um ecossistema, que em parte ajuda na manutenção deste sistema. Já a outra parte responsável por esta manutenção é o próprio homem com suas atividades econômicas. A extinção deste ecossistema ou o fim das ações humanas destruiria este sistema chamado montado/dehesa.

Há muitas áreas de montado/dehesa abandonadas, que voltam lentamente a cobrir-se da vegetação que o homem ao longo do tempo retirou para utilizar este espaço. Esta áreas sofrem uma regressão para o que eram antes da ação humana. Outras áreas são destruídas para a implantação da agricultura em grande escala, apesar da inaptidão do solo para este tipo de agricultura. Estas situações ocorrem devido à crise nas atividades tradicionais, que caem em desuso ou têm a produção diminuída.

Termino com algo que pode-se encontrar no site da Junta de Extremadura, relativo ao Projeto Montado/Dehesa. Neste site, além de informações detalhadas e confiáveis sobre o montado (na versão em espanhol, visto que a versão em português está de péssima qualidade), pode-se ter acesso a informações sobre o que anda sendo feito para preservar ou revitalizar este sistema agrosilvopastoril, assim como excelentes fotos sobre as diferentes atividades nele desenvolvidas.

Definindo o montado/dehesa, a partir do que encontramos no site do Projeto Montado/dehesa, pode-se dizer que:

“O montado é, definitivamente, o meio florestal mais representativo cultural e superficialmente da região. Um meio que, (…), representa o mais inteligente equilíbrio possível na intervenção do homem sobre a natureza. Em condições ótimas de exploração é capaz de comportar uma grande variedade de recursos úteis à sociedade, mantendo uma estabilidade ecológica não muito distante do bosque climático originário.”

E eu achando que esta natureza estava morta!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s